Aromas Negócios

Boticário lança 1º perfume feito com ajuda de inteligência artificial

perfume inteligência artificual

Depois de mais de dois anos de desenvolvimento, o grupo paranaense Boticário, maior varejista de cosméticos do país, lança os primeiros perfumes do mundo feitos com ajuda de Inteligência Artificial (AI, na sigla em inglês). Antecipada ao site EXAME, a novidade chega em duas versões — “On you” (Em Você) e “On me” (Em Mim) — e integra o portfólio da marca Egeo, voltada para o público mais jovem.

Para criar as novas fragrâncias, a fabricante “invocou” a deusa grega do perfume, Phylira, que no mundo real empresta seu nome a um sistema inédito de AI criado pela IBM em parceria com a alemã Symrise, uma das principais fornecedoras de fragrância da rede. O sistema Phylira foi alimentado com milhões de dados referentes a fórmulas, ingredientes, história da perfumaria e taxas de aceitação do consumidor.

Com a precisão e capacidade de processamento que só um “cérebro artificial” é capaz de entregar, Phylira buscou e cruzou os dados que mais se aproximavam ao que O Boticário queria. O resultado são duas combinações de fragrâncias que levam um pouco de frutas, flores, especiarias, madeiras e até notas inusitadas, como caramelo e leite condensado. Como o sistema não tem limitação de combinações, pode usar ingredientes que às vezes passam despercebidos por serem muito incomuns.

Ao final do processo, as fragrâncias foram submetidas ao crivo do nariz exigente do perfumista para ajustes. A nova linha estará disponível a partir do dia 27 de maio em todas as lojas, revendedoras e e-commerce da rede no Brasil, pelo valor de R$ 104,90 cada.

Atenta à importância das representações de gênero e diversidade, a rede não distingue os perfumes em “masculino” e feminino”, apesar de as embalagens destacarem tons mais quentes e mais frios, que remetem aos ingredientes. “Fragrâncias são fragrâncias, e homens e mulheres devem decidir o que preferem usar. Queremos ser menos taxativos nesse processo”, diz a EXAME o diretor de marketing de O Boticário, Alexandre Bouza.

“Temos trabalhado com nossos consultores e lojas sobre questões de gênero e diversidade, para que façam menos pré-julgamentos sobre caminhos olfativos e cores. Devemos ser capazes de oferecer maquiagens a rapazes que procuram esse tipo de produto e apresentar as fragrâncias de forma diferenciada, sem pré-definição”, acrescenta o executivo.

Robôs perfumistas: quando a inovação encontra a tradição

A essa altura você deve estar se perguntando se os robôs serão os perfumistas do futuro. Não, o cérebro artificial está longe de roubar o papel central desses profissionais, segundo Bouza. “Existem menos perfumistas no mundo do que astronautas. Eles combinam um grande conhecimento sensorial com um vasto conhecimento sobre ingredientes. A utilização de inteligência artificial no processo de criação ajuda a captar e refinar a afinidade das pessoas com diferentes caminhos olfativos e isso vai ajudar os perfumistas a criar produtos que tenham poder de empatia maior”, destaca o executivo.

Ao combinar tecnologia de ponta com processos tradicionais de produção na perfumaria, o grupo Boticário dá mais um passo para expandir seu império. Hoje, a empresa possui a maior rede de franquias do Brasil e a maior do mundo em perfumaria e cosméticos. Espaço há de sobra: o mercado de perfumaria no Brasil – segundo maior globalmente, perdendo apenas para os Estados Unidos – cresce cerca de 5% ao ano.

fonte: exame.abril

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply